Apanhar as Tendências

Apanhar as Tendências

O Presidente do Grupo Estée Lauder, John Demsey, di-lo melhor: “Gosto muito de ver os relatórios de tendências, pois assim sei exatamente o que não devo fazer.”

Claro que é importante saber o que está a acontecer, para ter uma compreensão abrangente das tendências correntes, vindas da maior quantidade possível de fontes. Mas toda esta informação não deve dar instruções diretas sobre o que pensar e para onde ir. Toda a gente tem acesso às mesmas fontes, e é mais seguro assumir que toda a gente as segue. O que é mais uma razão para que a visão seja criada dentro da empresa!

Tom Ford, que agora trabalha na Estée Lauder, tem algumas ideias sobre a maneira como os relatórios de tendências devem ser lidos: “Todos os indícios do que vamos ter amanhã estão disponíveis hoje. É um quebra-cabeças, basta juntar as peças. Mas é uma coisa pessoal. Temos de tentar descobrir o que vem a seguir com base no que há agora. E às vezes temos de fazê-lo deitando fora muito do que aí está. Detesto o termo trendspotting, e detesto as pessoas que afirmam que podem descobrir as tendências. Quando estava na Gucci davam-me sempre aqueles resumos, assim como “vou fazer compras aos mercados e pergunto às pessoas qual é a próxima tendência e blá blá blá”. Se precisamos de pagar a alguém para nos dizer qual é a nossa próxima tendência, então não estamos no negócio que devíamos de estar”

Numa empresa tão mal iluminada que não se consegue ver o “cool” que há dentro da própria organização, valerá a pena ir lá fora à procura?

CLOSE

Cum sociis Theme natoque penatibus et magnis dis parturie montes, nascetur ridiculus mus. Curabitur ullamcorper id ultricies nisi.

  • 00 123-456-789
  • office@activia.com
  • 2946 Angus Road, NY
FOLLOW US